Alimentação e os desafios do dia-a-dia todo dia com os pequenos - Parte 3

29/01/2018

Procure em pelo menos uma das refeições, sentar junto a mesa junto do seu filho. As vezes a gente não vai tá em casa, mas procure ou no almoço ou jantar viver, essa experiência. Essa é um experiência que vai seguir para a vida toda, o quanto é importante ter esse momento de reunião.

Use dos combinados nesse momento também, isso é muito importante, por quê? Caso o nosso filho venha reduzindo a alimentação e comendo só determinados alimentos, a gente também tem a aflição de que queremos que ele coma. Então se ele come o macarrão, “Ah! O macarrão pelo menos ele come.” A gente vai se fechando junto com eles.

Converse. Explique. Mostre pra ela que isso não faz bem. E que a gente tem uma gama imensa de frutas, verduras, batatas, arroz, feijão, carne, peixe, frango. Esse é um momento importante de crescimento. E ai, a criança pode aos poucos ir experimentando. Até porque, vale pra ela contar a história que um dia ela não gostava de pizza nem de chocolate, e que ela gosta muito, mas um dia ela precisou experimentar.

Quanto mais a gente puder deixar isso leve e gostoso, mais fácil vai ser esse momento. Sabendo que, haverá algumas épocas em que a fome vai ser menor, outras a fome vai ser maior, o interesse vai ser menor, o interesse vai ser maior, mas que acompanhando com o pediatra direitinho e a criança continua crescendo, tá tudo bem. As vezes é um dia que ela não tá se sentindo bem. Mamães, calma! Tudo está bem! Tudo vai seguir bem! Esse é um processo que tem movimento, assim como com a gente.

A dica pra vocês, é uma muito legal. Muito divertida. Nesses momentos à mesa, é muito legal uma vez ou outra fazer um jantar temático. Pode ser um jantar a luz de velas. Trazer os super heróis pra jantar com a criança também, ou as bonecas. Quando a gente faz desse momento, um momento gostoso, o comer vira uma atividade prazerosa. E o prazer em estar junto nesse momento, também passa a ser algo muito importante.

Então invés da briga, do empurra, procure a leveza e esse encontro com uma qualidade incrível. Vai ser bom para todo mundo, principalmente para as crianças e para as mamães que tem essa preocupação tão grande com a alimentação.

Conforme a criança for crescendo, fiquem tranquilas, na maioria dos casos elas voltam a comer e voltam a comer muito bem. Por volta dos 6, 7 anos, esse interesse, essa fome, o estirão que vem por ai, ele demanda energia, e a criança volta a comer super bem.

Leia também: 
Alimentação e os desafios do dia-a-dia todo dia com os pequenos - Parte 1
Alimentação e os desafios do dia-a-dia todo dia com os pequenos - Parte 2

Daniella Freixo de Faria – Psicóloga infantil

Gostou? Compartilhe!

Enviar ComentárioEnvie um Comentário

Olá visitante,